Compartilhe com seus amigos.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Semana Catequética - Porque sou catequista.

10ª Semana Catequética
Abertura - Porque sou catequista.

A abertura foi feita pelo grupo de dança da catequese N. Sra das Graças da Boa vista que voce pode assistir CLICANDO AQUI. Depois da oração o sr. Osorio Soares, catequista e coordenador Fez uma viagem pelos 3 anos que ele ajuda o Pe, Nonato a coordenar a catequese, falou do amor que tem pela catequese e pela sua vocação de catequista. Catequisar por amor.
Falou da dificuldade que os catequistas tem para servir a Deus por causa das inúmeras ocupações, tanto no dia-a-dia como nos trabalhos pastorais pois alguns catequistas trabalham em 3, 4 ou mais pastorais.

Falou tambem do chamado pessoal de Jesus e a relação de amor que Ele faz com cada catequista para que sinta de maneira particular e pessoal, o desejo de anunciá-Lo, de “Evangelizar”, e de levar outros ao “sim” da fé em Jesus Cristo.




falou da diversidade de catequistas e das diversas necessidades da catequese. Dos muitos trabalhos de Evangelização, como : Animar a comunidade com o trabalho missionário, cenáculos, círculos bíblicos e outros. Todas estas atividades não atrapalham e nem dividem os movimentos e sim unificam a comunidade e auxiliam o ministério catequético.
Encerrou dizendo que vocação é uma resposta ao chamado de Deus para dar continuidade ao seu projeto de amor, e que a vocação do catequista leigo e dobrada: Sua resposta ao chamado é gerar vida e educá-la para o serviço do amor; Como se fosse pouco, o catequista ama e educa não só os seus mais também de tantos que não tem uma base sólida e de alguns que nasceram do desejo de quem não sabiam o que queriam. O amor incondicional é aquele que acolhe mesmo sem ser acolhido, vai sem ser convidado e mesmo assim está sempre pronto para começar de novo. É doar-se até o fim.
Em seguida convidou alguns catequistas para darem depoimentos do seu chamado. Terezinha de Jesus da Boa Vista, Angela Maria e Maria do Socorro dos Pereiros e a Toinha do Alto dos 14. Os catequistas falaram de suas experiencias e de suas dúvidas. De quantas vezes pensaram em desistir mas o amor de Jesus falou mais alto. Falaram das dificuldades e das superações.

Pe. Zenóbio saudou a todos os catequistas com uma especial cordialidade que lhe é peculiar. Falou da vocação do catequista como serviço de amor e doação. Da importância do catequista para a comunidade e para a igreja, e como ele é querido aos olhos de Deus. Da sua preoculpação com catequistas que se envolvem em muitas pastorais para que não deixem a desejar em nem uma pastoral, mas acima de tudo possa desenvolver um bom ministério catequético.
Falou da importancia dos símbolos na catequese, e da linguagem do corpo. O corpo fala. A expressão corporal as vezes fala mais alto do que muitas palavras. Fez uma pequena explanação sobre os documentos da igreja, em especial o Concílio Vaticano II em que valoriza os leigos e mostra o caminho para se tornarem discípulos missionários do senhor. Comentou a necessidade da formação pessoal e grupal dos catequistas e da obrigação de uma boa organização para que a catequese possa colher bons frutos. Comentou que o catequista que não participa das formações oferecidas pela igreja, não pode ser catequista. Na sua expontaneidade brincoue dialogou com todos os catequistas. O encontro aconteceu na Casa de Cultura Valderez Soares de Ipu, e tivemos a participação de 21 catequistas e 5 visitantes. O numero de catequistas foi pequeno porque a semana catequética do Ipu sempre está em concorrência com a semana do município. Que é na última semana de agosto, mas que neste ano o atual prefeito antecipou para uma semana antes ( 20 a 26) obrigando os catequistas que trabalham no município participarem dos festejos.

Visite o Site da nossa Paróquia
Visite também a nossa Catequese