Compartilhe com seus amigos.

sábado, 10 de outubro de 2009

Carta do Papa às Famílias do Ceará e Piaui



A carta do Santo Papa começa falando da família assentada no matrimônio, como«aliança conjugal na qual o homem e a mulher se dão e se recebem» (cr. Gaudium et spes, 48). Instituição natural confirmada pela lei divina, está ordenada ao bem dos cônjuges e à procriação e educação da prole, que constitui a sua coroa (cf. ibid., 48). Pondo em questão tudo isto, há forças e vozes na sociedade atual que parecem apostadas em demolir o berço natural da vida humana. A preocupação de todos os Bispos e do Papa é o assédio à família, com a vida saindo derrotada em numerosas batalhas; porém é alentador perceber que, apesar de todas as influências negativas, o povo de vossos Regionais Nordeste 1 e 4, sustentado por sua característica piedade religiosa e por um profundo sentido de solida riedade fraterna, continua aberto ao Evangelho da Vida, diz o Papa.

O Papa pediu que em cada lar o pai e a mãe, inti­mamente robustecidos pela força do Espírito Santo, continuem unidos a ser a bênção de Deus na própria família, buscando a eternidade do seu amor nas fontes da graça confiadas à Igreja, que é «um povo unido pela unidade do Pai e do Filho e do Espírito Santo» (Lumen gentium, 4).

Continua a preocupação pela santificação do matrimônio no plano de Deus mediante a consciência difusa no mundo secularizado que vive na incerteza mais profunda a tal respeito, especialmente desde que as sociedades ocidentais legalizaram o divórcio.

Pediu a atenção especial da diante da separação dos cônjuges e do divórcio, diante da ruína dos lares e das conseqüências criadas pelo divórcio nos filhos.

Como ajudar as famílias, o Papa propôs, com convicção, as virtudes da Sagrada Família: a oração, pedra angular de todo lar fiel à sua própria identidade e missão; a laboriosidade, eixo de todo matrimônio maduro e responsável; o silêncio, cimento de toda a atividade livre e eficaz.

Encorajou os sacerdotes e os centros pastorais das dioceses a acompanhar as famílias, para que não sejam iludidas e seduzidas por certos estilos de vida relativistas, que as produções cinematográficas e televisivas e outros meios de informação promovem.

Mostrou confiança no testemunho daqueles lares que tiram as suas energias do sacramento do matrimônio; com elas toma-se possível superar a prova que sobrevém, saber perdoar uma ofensa, acolher um filho que sofre, iluminar a vida dooutro, mesmo fraco ou diminuído, mediante a beleza do amor. É a partir de tais famílias que se há de restabelecer o tecido da sociedade.

Termina dizendo

Estes são, caríssimos Irmãos, alguns pensamentos que deixo-vos ao concluirdes a vossa visita ad Limina, rica de notícias consoladoras mas também carregada de trepidação pela fisionomia que no futuro pos sa adquirir a vossa amada Nação. Trabalhai com inteligência e com zelo; não poupeis fadigas na preparação de comunidades ativas e cientes da própria fé. Tais são os meus votos que corroboro com a Bênção Apostólica que concedo a todos vós, extensiva às famílias cristãs e diversas comunidades eclesiais com seus pastores e todos os fiéis das vossas diletas dioceses.

A carta completa esta no nosso Site Carta às Famílias do Ceará e Piaui e também foi lida pelo Pe. Raimundo Nonato na Ultima novena de São Francisco e você pode assistir ao lado ou visitar o nosso canal do Youtube. Ou ainda assistir o vídeo diretamente do Youtube Carta Ad Limina