Compartilhe com seus amigos.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

70 anos de Inauguração da Igreja Matriz de São Sebastião - Ipu

No dia 14 de janeiro de 1940, às 8 horas da manhã, realizou-se a cerimônia da bênção da Igreja nova de São Sebastião, desta cidade, sendo oficiante por delegação do Sr. Bispo de Sobral o virtuoso franciscano Frei José Maria, de Icó, o qual se achara aqui, viajando para Tianguá.


A esta cerimônia emprestaram maior solenidade os reverendíssimos padres Francisco Fontenelle, Antonio Cardoso, Francisco Moraes, vigários de Ipueiras, Campo Grande e Nova Russas, sem contar o Coadjutor Pe. José Cardoso e o vigário desta paróquia.
Estiveram presentes os clérigos Domingos Saboya e José Ignácio, bem como os Seminaristas Adauto Moreira e Jacques Tavares. Seguiram-se o “Te Deum” e a bênção do SS. Sacramento, sendo oficiantes os mesmos da missa solene, isto é, Frei José Maria, Pe. Moraes e Pe. Antonino, servindo de mestre de cerimônia o jovem sacerdote Pe. Bonfim, residente em Crateús.

Às 5³/4 da tarde subiu à tribuna sagrada o Pe. José Bezerra Coutinho, Vigário de São Benedito, o qual produziu ótimo sermão concernente à bênção do novo templo.
A primeira pedra da igreja foi benzida e assentada a 18 de Outubro de 1914, no paroquiato do Pe. Dr. Aureliano Motta, tendo se preparado em seguida dois terços dos alicerces.
Pela vinda da seca de 1915 e pela transferência do Vigário Aureliano ficaram suspensos os trabalhos até 1924, quando foram reicetados.
No decurso de 15 anos foram suspensos várias vezes, por falta de recursos pecuniários. Até ao dia da bênção e inauguração da igreja nova as despesas dos respectivos trabalhos montavam em 203 contos de réis, angariados com sacrifícios e dificuldades.A maior parte dos trabalhos foi executado pelo Mestre Raimundo Nonato de Sousa d’Ipu. O altar-mor foi construído pelo Mestre Pedro Frutuoso, de Sobral, ao qual se deve também a estátua da torre.

São merecedores dos melhores aplausos e credores das bênçãos de São Sebastião os dedicados e incansáveis diretores dos trabalhos da igreja os senhores Plácido Passos e Raimundo Heitor, tendo aquele prestado os seus valiosos serviços até 1928 e este desde esta data até a bênção, prosseguindo ainda no seu posto de sacrifício.
Muito trabalharam também as excelentíssimas senhoras Gessy Coelho Lima e Maria Cornélia da Frota Passos, angariando esmolas e donativos, promovendo quermesses, leilões, festivais, etc...
Por faltarem alguns trabalhos na igreja nova, como sejam altares laterais, escada da torre, cômoda, etc., continuou servindo de matriz a primitiva igreja de São Sebastião.