Compartilhe com seus amigos.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Festa de Corpus Christi


A festa de Corpus Christis é realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de 'preceito', isto é, para nós católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do país respectivo.
Aqui no Ipu, só houve uma missa, as 7 horas da manhã.A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII.A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264.


A procissão com o Corpo de Cristo Sacramentado pelas vias públicas, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cân. 944) que determina ao Bispo diocesano que a providencie, onde for possível, "para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo."
É recomendado que nestas datas, a não ser por causa grave e urgente, não se ausente da diocese o Bispo (cân. 395).
Conta a história que um sacerdote chamado Pedro de Praga, de costumes irrepreensíveis, vivia angustiado por dúvidas sobre a presença de Cristo na Eucaristia. Decidiu então ir em peregrinação ao túmulo dos apóstolos Pedro e Paulo em Roma, para pedir o Dom da fé. Ao passar por Bolsena (Itália), enquanto celebrava a Santa Missa, foi novamente acometido da dúvida.
Na hora da Consagração veio-lhe a resposta em forma de milagre: a Hóstia branca transformou-se em carne viva, respingando sangue, manchando o corporal, os sangüíneos e as toalhas do altar sem no entanto manchar as mãos do sacerdote, pois, a parte da Hóstia que estava entre seus dedos, conservou as características de pão ázimo.
Por solicitação do Papa Urbano IV, que na época governava a igreja, os objetos milagrosos foram para Orviedo em grande procissão, sendo recebidos solenemente por sua santidade e levados para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi a primeira procissão do Corporal Eucarístico. A 11 de agosto de 1264, o Papa lançou de Orviedo para o mundo católico através da bula Transiturus do Mundo o preceito de uma festa com extraordinária solenidade em honra do Corpo do Senhor.
Em muitas cidades portuguesas e brasileiras é costume ornamentar as ruas por onde passa a procissão com tapetes de colorido vivo e desenhos de inspiração religiosa. Esta festividade de longa data se constitui uma tradição no Brasil, principalmente nas cidades históricas, que se revestem de práticas antigas e tradicionais e que são embelezadas com decorações de acordo com costumes locais.
Aqui no Ipu as escolas passam a manhã ornamentando as ruas para a procissão. Cada escola designa a sua equipe para o trabalho. Não fazem o tradicional Tapete de símbolos Eucarísticos, colorindo com material reciclado, mas procuram desenhar os símbolos nas ruas para que o Santíssimo Sacramento possa passar. Aproveitam o máximo o material verde como ramos de árvore e folhas de palmeira ornamental. 10 anos morando aqui e ainda não me acostumei com este dia.
É que morei muitos anos em São Paulo, mas precisamente em Poá e lá eles começam os preparativos dias antes da solenidade e adentram a noite trabalhando. Algumas escolas começam a adquirir o material desde o começo do ano. O trabalho é voluntário e toda a família se envolve para abrilhantarem a festa.
A nossa procissão começou as 18h 30m saindo da Igreja matriz, dando a volta em torno da igreja pela rua Dr. Chagas Pinto, passando detrás da igreja pela antiga av. da municipalidade, passando em frente da Câmara dos vereadores. O percurso não foi longo. Foi praticamente uma volta no quarteirão. Aconteceram 5 bênçãos. Pode ser uma crítica, mas até mesmo os altares para as bênçãos este ano não estavam tão brilhante. Destaco aqui três coisas: 1ª a piedade e comportamento do povo.

Começaram com duas filas, dobraram as filas... Era tanta gente que quando o Padre Marcone chegou com o Santíssimo na primeira benção, o povo ainda estava saindo da igreja. Não dava para escutar o que estavam rezando ou cantando na frente, então todos rezavam o terço atrás. O 2º destaque vai para a quantidade de gente que compareceu à procissão. As ruas escolhidas não são de fácil acesso e escuras já que a procissão sempre acontece a noite e muitos idosos participam com tanta devoção.

Exemplo de Fé, participação e amor pela igreja e pela Eucaristia é o Dr. Tomás. Mais de 80 anos e acompanhando a procissão como nos tempos de sua juventude. O 3º destaque vai para os Ministros Extraordinário da Sagrada Eucaristia que fizeram a proteção do Santíssimo formando um cordão humano, e a coordenadora do grupo que organizou e conduziu a procissão muito bem. Foi evidente a participação da guarda municipal que garantiu a segurança da procissão. Dando apoio a guarda estava o grupo de escoteiros “águias do Ipuçaba. Também foi positivo a participação da Escola particular Patronato Sousa Carvalho.

È claro que não podemos esquecer a exuberância de enfeites e colorido que o Deti e sua esposa usa para enfeitar a frente da Matriz. É magnífico o seu trabalho.