Compartilhe com seus amigos.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Retiro Espiritual na Comunidade N. Sra. das Graças


Entrevista com o coordenador da CNSG, Luis Jocélio Miranda

A CNSG está reunida em retiro com o Pe. Nonato para refletir a importância da comunidade como Igreja, tendo Jesus como o tronco, aquela força maior que faz a Igreja permanecer unida e em missão. A comunidade tem esse privilégio de estar hoje em retiro se fortalecendo para depois levar a todos da comunidade a Palavra de Deus.


Qual tem sido o grande incentivo para manter a comunidade atuante?

Por providência divina, nós temos na comunidade a construção do Santuário dedicado a Nossa Senhora das Graças e através dessa graça que é esse Santuário, a comunidade tem se fortalecido, muitas pessoas tem se aproximado mais da Igreja, está sendo um verdadeiro canteiro de bênção e conversão. Tudo isso confirma a presença de Deus, do Espírito Santo na comunidade.

Diante do grande pedido da Igreja ao mundo inteiro (formador de discípulos missionários), qual tem sido o trabalho da comunidade?

Nós temos, principalmente, agora, no mês de maio, visitar as famílias rezando o terço. Temos também aos domingos, as 18h, o ofício e a novena da Medalha Milagrosa no Santuário, que ainda não está pronto, mas já estamos utilizando o espaço para que as pessoas já fiquem habituadas a frequentar a Igreja da Boa Vista. Todos os meses temos a Santa Missa.

Qual o calendário da comunidade?

Atualmente a comunidade está tendo dia de segunda-feira a catequese de adultos, uma espécie de estudo bíblico para as pessoas aprenderem mais um pouco sobre a Palavra de Deus. Aos sábados, à tarde a catequese das crianças também acontece lá. Uma vez por mês acontece o conselho da comunidade, todo dia 13 tem o ofício de Nossa Senhora e todo sábado tem o mutirão no Santuário, começando 7h da manhã. Tudo isso é movimento de evangelização da comunidade.

Qual o convite para as pessoas participarem tanto do mutirão quanto da comunidade?

Escutem a Palavra de Deus, porque a gente acredita que as pessoas devem ser sensibilizadas, ou devem deixar-se se sensibilizar. Só a gente rezando, falando, nem sempre as pessoas escutam. A gente confia que a comunidade é um local apropriado para as pessoas encontrarem Jesus e nós estamos lá aguardando que as pessoas participem desses momentos que a comunidade oferece. Nós também fazemos missão, tem a missão do dízimo que colabora com a visita nas casas. E que as pessoas ao ouvirem o anúncio das festas, das novenas, das missas também se disponibilizem em ir à Igreja. Não fique só esperando o missionário ir lá convidar. O chamado é de Jesus e nós precisamos obedecer.

Quais as dificuldades da Comunidade?

Nós estamos na construção do templo, todo sábado, 7h da manhã, os trabalhos estão um pouco difíceis porque é na parte superior, não é um trabalho ainda de mutirão, é um trabalho mais especializado e de pessoas que tenham coragem para subir porque as paredes são bem altas. Mas precisamos muito de pedreiros, pessoas que venham nos ajudar a construir. Desde o começo da construção muitos pedreiros falaram que vinham e estamos esperando, que Jesus possa tocar nos seus corações. Estamos precisando dessas pessoas que venham nos ajudar neste trabalho, que agora é um trabalho especializado para profissionais.