Compartilhe com seus amigos.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Quarta-feira santa

A Semana Santa na paróquia do Ipu é marcada pela boa participação dos fiéis. Graças a Deus, os nossos ipuenses procuram estar em paz com Deus e obedecer os mandamentos da Santa Madre Igreja.
Toda segunda-feira a celebração Eucarística é na capela N. Sra. do Carmo no cemitério. Nesta segunda, Pe. Nonato aproveitou para confessar os fiéis dos bairros vizinhos ao cemitério.
Na terça-feira a celebração Eucarística foi na capela de São Vicente e Santa Luiza no bairro da mina, confessando também os fiéis deste bairro. Na quarta-feira foi a vez da matriz. Neste dia, mais de 300 pessoas se confessaram, preparando seu espírito para a Páscoa. Os sacramentos são canais que nos ligam ao céu. "Aquele que se prepara para morrer com Cristo, com Ele vai ressuscitar."
Leia a matéria completa aqui ►

domingo, 28 de março de 2010

28 de março de 2010, Domingo de Ramos. Relembramos e celebramos a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, poucos dias antes de sofrer a Paixão, Morte e Ressurreição. Este domingo é chamado assim
E assim, Jesus entra triunfante em Jerusalém despertando nos sacerdotes e mestres da lei muita inveja, desconfiança, medo de perder o poder. Começa então uma trama para condenar Jesus à morte e morte de cruz. O povo o aclama cheio de alegria e esperança, pois Jesus como o profeta de Nazaré da Galiléia, o Messias, o Libertador, iria libertá-los da escravidão romana .Mas, essa mesma multidão, poucos dias depois, manipulada pelas autoridades religiosas, o acusaria de impostor, de blasfemador, de falso messias. E incitada pelos sacerdotes e mestres da lei, exigiria de Pôncio Pilatos, governador romano da província, que o condenasse à morte. Por isso, na celebração do Domingo de Ramos, proclamamos dois evangelhos: o primeiro, que narra a entrada festiva de Jesus em Jerusalém fortemente aclamado pelo povo;
depois o Evangelho da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, onde são relatados os acontecimentos do julgamento de Cristo. Julgamento injusto com testemunhas compradas e com o firme propósito de condená-lo à morte. Antes porém, da sua condenação, Jesus passa por humilhações, cusparadas, bofetadas, é chicoteado impiedosamente por chicotes romanos que produziam no supliciado, profundos cortes com grande perda de sangue. Só depois de tudo isso que, com palavras é impossível descrever o que Jesus passou por amor a nós, é que Ele foi condenado à morte, pregado numa cruz. Aqui no Ipu a celebração começa no quadro da igrejinha onde acontece a leitura do Evangelho, começa a procissão como ato penitencial e a missa continua na matriz.
Leia a matéria completa aqui ►

Procissão dos Passos - Via-Sacra


Sexta Feira, dia 26 de março a Paróquia de Ipu realiza a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo pelas ruas da cidade. É uma procissão feita com a imagem
de bom Jesus dos passos. São as 15 estações da Via dolorosa de Nosso Senhor, orada, cantada e meditada de acordo com a Campanha da Fraternidade.
A Campanha da fraternidade este ano é Ecumênica e o Tema é:"Fraternidade e Economia" e o lema é "Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro" (Mt 6, 24).
A Via-sacra teve início na praça Corrinha Lima com a concentração dos fiéis e a abertura. As estações são em casas predeterminadas que preparam o altar.
Muita gente acompanha a procissão que é tradição na nossa cidade. Além dos cânticos, as pessoas seguem piedosa
mente acompanhando os passos do bom Jesus até o Calvário. Na quarta estação relembramos o encontro do Bom Jesus com a Nossa Senhora das Dores.
Sem dúvidas a dor da mãe é muito grande ao ver seu filho caminhar para o calvário, para ser morto injustamente, mas para a nossa salvação.
Aos poucos as famílias vão se ajuntando, e aumentando a multidão. As imagens são muito pesada, mas unidas à distância é um bom sacrifício.
Após percorrer varias ruas e as 14 casas representando as 14 estações da via-sacra, a procissão chega a igreja onde é reunido as 15 cruzes e os 15 quadros das estações.
Toda a comunidade reunida celebra a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo na Igreja Matriz. Assim nos preparamos para celebrar a semana santa que terá início no domingo de ramos.

Leia a matéria completa aqui ►

sábado, 27 de março de 2010

Semana Santa


Todos os anos, nós cristão fazemos da Quaresma um tempo propício para intensificar a nossa oração e penitência, abrindo o nosso coração à dócil aceitação da vontade divina. Nela, é nos indicado um percurso espiritual que nos prepara para reviver o grande mistério da morte e ressurreição de Cristo, a “Semana Santa”.

A Semana Santa é a ocasião em que celebramos a paixão de Cristo, sua morte e ressurreição. "No mistério pascoal, Deus Pai, por meio do Filho no Espírito Paráclito, oferece para o homem o perdão de seus pecados e a libertação da morte".

A semana santa foi celebrada pela primeira vez no ano de 1682, através do Papa Silvestre I no Concílio de Nicéia, onde os ensinamentos da doutrina católica passam a ser religião oficial do Império Romano.

Foi determinado que a semana santa fosse constituída de oito dias. Seu início se deu no domingo de ramos, através da entrada do Rei, do Messias, na cidade de Jerusalém, para comemorar a páscoa judaica. Na segunda-feiraseguinte foi o dia em que Maria ungiu Cristo; na terça-feira foi o dia em que a figueira foi amaldiçoada; a quarta-feira é conhecida como o dia das trevas; a quinta-feira foi a última ceia com seus apóstolos, mais conhecida como a instituição da Eucaristia. A sexta-feira foi o dia do seu sofrimento, sua crucificação. Sábado é conhecido como o dia da oração e do jejum, onde os cristãos choram pela morte de Jesus. No sábado a noite acontece a Vigília Pascal. E, finalmente, odomingo de páscoa, o dia em que ressuscitou e encheu a humanidade de esperança de vida eterna.

O tempo da Quaresma se prolonga até a Quinta-feira da Semana Santa. A Missa Vespertina da Ceia do Senhor é a grande introdução ao santo Tríduo Pascoal. O Tríduo Pascoal tem início na Sexta-feira da Paixão, prossegue com o Sábado de Aleluia, e chega ao ápice na Vigília Pascoal terminando com as Vésperas do Domingo da Ressurreição.

No começo da semana-santa, as paróquias, capelas, colégios, hospitais e centros de evangelização oferecem aos fiéis a oportunidade do Sacramento da Reconciliação como preparação espiritual para acompanhar ao Senhor Jesus na entrega de Si mesmo por nós. É necessário que o tempo da Quaresma termine com alguma celebração penitencial a nível social, que sirva de preparação para uma participação mais plena no mistério pascoal.
Leia a matéria completa aqui ►

2º Encontro de Formação para Equipes de Celebração

Hoje, 27 de março de 2010, às 8h da manhã aconteceu mais um Encontro de Formação para as Equipes de Celebração da Paróquia de Ipu, tanto para os agentes da Matriz, quanto para os agentes das Capelas e Comunidades. O início do Encontro deu-se início com um resumo do conteúdo principal da reunião anterior.
Foi explicado parte por parte da Missa. O roteiro da Missa é dividido em quatro partes: Rito de Entrada, Liturgia da Palavra, Liturgia Eucarística e Rito Final. Novamente foi analisado Ano Litúrgico, parte por parte.

Foram esclarecidas todas as dúvidas a respeito da postura, comportamento e frases a serem pronunciadas durante a Celebração Eucarística. Foi ressaltado, também, a importância, da escuta atenta à Liturgia da Palavra, pois é a Palavra de Deus que é proclamada a todos nós.
O próximo encontro será dia 29 de maio, sábado. Na ocasião, serão estudados os objetos litúrgicos e suas respectivas funções e significados. Estes objetos são utilizados durante as Celebrações Eucarísticas.
Leia a matéria completa aqui ►

terça-feira, 2 de março de 2010

A vocação do catequista discípulo

O catequista para ser discípulo precisa refletir bem em sua vocação. buscar a prática dos ensinamentos e resgatar o significado revelador da vida de Jesus como caminho para compreender o mistério de Cristo. O catequista discípulo de Jesus atrai para si a totalidade da vida cristã, que se caracteriza pela relação do cristão com Deus Pai, por meio de Jesus Cristo, na força do seu Espírito. O cristão deve ser um catequista e também um discípulo que conhece o mestre, gosta de estar em sua presença, ama-o e faz a sua vontade. Fala do mestre e de sua obra a todos que encontra.
A vocação do catequista discípulo é comprometedora: Deus chama através de uma Palavra, viva e eficaz, e a pessoa que responde e compromete para sempre sua vida. Deus chama constantemente e de vários modos. Existe pessoas que escuta o chamado e diz não ter tempo. Este não reconheceu a voz de Deus. Quem reconhece o chamado de Deus não exita e responde: Eis me aqui, Senhor.
Chamado à vida: o primeiro chamado que Deus dirige às suas criaturas é o convite à vida. Então Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Gn 1,26. E o homem foi feito; humano mas interlocutor de Deus! O homem não se conhece totalmente por isso vive procurando se completar; só se encontrará quando buscar o outro, pois é no outro que encontramos aquilo que falta em nós. E ao encontrar o outra se encontra, e consequentemente encontra a Deus. A catequese precisa ajudar a pessoa a se relacionar consigo mesma, com o próximo e com Deus; agindo assim estará dando uma resposta aos anseios profundos do coração humano e não uma imposição.
Chamado à santidade: Feito a imagem e semelhança de Deus, o homem é chamado a ser igualzinho a Deus: Sede santos, porque eu sou santo Lv 11,44. Ser santo é conhecer a Deus (Jo 17,3), e por causa Dele, passar pelo mundo fazendo o bem (At10,38), como Jesus. E sendo assim serás herdeiro do céu: Dei-lhes a glória que me deste, para que sejam um, como nós somos um. (Jo 17,22).
Chamado ao discípulado: O catequista discípulo abre o seu coração a Deus e deixa-se ser amado, ama-o de todo o entendimento e aos irmãos; busca-o constantemente na natureza, nas pessoas, na vida: faz do seu coração um verdadeiro santuário; cai... porque é limitado, mas não vive reclamando porque segura na mão de Deus e levanta. Para ler mais acesse o nosso site.
Leia a matéria completa aqui ►

Catequese visita Bairro da Mina

Domingo, dia 28 de fevereiro de 2010, a coordenação de catequese da Paróquia de Ipu foi visitar uma das comunidades catequisadoras. A visita foi no bairro da mina, na catequese do grupo de oração Verbo de Deus.
Os encontros de catequese acontecem na Escola Abdias Martins, escola de muito espaço físico, apesar do calor, as salas são bem arejadas pois no lugar das janelas existem combombó.
Enquanto os catequistas vão dando os seus encontros de catequese, a catequista suplente Tiana vai recepcionando as mães e renovando as inscrições. Com a liderança do catequista Marcos, o centro catequético está dividido em Iniciação à Eucaristia para crianças de 7 anos ,
com as catequistas Maria Andréia, Patrícia Ribeiro e Francisca Iara. Estas catequistas são frutos da Crisma do grupo. Existe também a pré-Eucaristia que é para as crianças de 8 anos. Os catequistas são Raimundo Assis conhecido como Shel e sua esposa Joana Darque.
A reclamação destes catequistas é que quase não houve inscrição de crianças desta faixa etária.
A primeira Eucaristia fica por conta do Marcos e da Antônia de Maria. Após o término da catequese, nos reunimos com as mães e fui explicar como que a catequese deveria ser, já que as pessoas acham tão diferente de alguns anos atrás. Falei da importância da educação da fé para as crianças a partir dos 7 anos de idade, e da obrigatoriedade da criança participar pelo menos 2 anos antes de receber Jesus Eucarístico pela primeira vez. Depois me reuni com os catequistas. Foi uma ótima visita. Osorio Soares.




Leia a matéria completa aqui ►