Compartilhe com seus amigos.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Maria, medianeira de todas as Graças




No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um varão chamado José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. Entrando onde ela estava, disse: "Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!" Ela ficou intrigada com esta palavra e pôs-se a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, porém, acrescentou: "Não tenhas medo, Maria! Encontraste graça junto de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e o chamarás com o nome de Jesus" (Lc 1,26-31).

Toda vez que rezamos a "Ave-Maria", nós nos alegramos com ela e louvamos a Deus pela vinda do Emanuel, o portador da paz. As palavras que, na saudação do anjo, chegam a Maria são palavras de Deus e, por isso, poderosas e eficazes. Podemos dizer que são um sinal eficaz. Deus enche o coração de Maria com a alegria messiânica. Ela experimenta, por primeira, o antegosto do tempo messiânico. Por meio de uma revelação especial, Maria experimenta que é um sinal privilegiado da esperança, um sinal de que Deus cumpre suas promessas a Israel. E assim, sua vida inteira canta a fidelidade de Deus. Na fidelidade à sua promessa feita aos nossos antepassados, o Senhor demonstra sua misericórdia para com Abraão e sua descendência para sempre (cf. Lc 1,55).
Do princípio ao fim, a vida de Maria é Cheia de Graça, é experiência da misericórdia e da bondade de Deus. Ela agradece continuamente a Deus e o louva; permanece sempre aberta à experiência da bondade amorosa de Deus e sempre pronta a responder com magnanimidade e gratidão crescente. Maria é um grande exemplo para a nossa vida. O silencio, a obediência e o seguimento foram sinais fortes das Graças do Senhor. Estas Graças não podem ser medidas.  Quem tem a Graça, tem em abundância, pois estas graças são a abundância do amor cativante de Deus, a experiência fundamental de que Deus nos olha com benevolência, nos demonstra sua misericórdia e nos quer atrair para ele. Muitos andaram com Deus, mas ninguém Jamais, antes de Maria experimentou tanto a proximidade e a benevolência de Deus.
Que alegria imensa ouvir da boca de um anjo: “O Senhor está contigo".  Alegria que Maria sentiu é a mesma que sentimos hoje quando recebemos Jesus na Eucaristia. Depois do Pai Nosso não pode haver oração mais bonita! Por isso é justo que nos Unamos a ela para louvar a Deus com as palavras do Anjo.
Maria não é só medianeira de todas as graças como é Mãe de Cristo e consequentemente, Mãe de Deus.  Por ser ela, mãe de cristo e nós sermos parte do SEU corpo,  Maria é também nossa mãe. Se a graça provém do Verbo, logo a graça passa por Maria, mãe do Verbo. Dessa maneira a Igreja crê que as graças obtidas pelos fieis, chegam também pelas mãos imaculadas da Virgem Santíssima, pois que a ela pode-se recorrer, ante a mediação única que exerce o Senhor Jesus junto ao Pai (I Tm 2,5).