Compartilhe com seus amigos.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

VALORES QUE PERMANECEM - MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO DOS FILHOS NA FÉ

Ninguém é igual a ninguém. Sendo assim, a educação dada aos filhos também não são iguais, pois cada um traz na memória, relapsos da educação recebida de seus pais. Em minha opinião o que mais afeta a educação familiar é a tentativa de interferência da sociedade, não na formação familiar, mas na obrigatoriedade de cumprir certas leis que só atrapalham a formação moral das crianças. As mudanças se dão de diversas formas, e conforme os filhos forem afetados reagirão em conflito consigo mesmo na tentativa de suprir ou mudar a maneira de educar.



As mudanças devem acontecer para melhorar a convivência familiar, contudo os valores humanos e cristãos do amor responsável para a felicidade permanecem atualíssimos: a prática da liberdade racional, do respeito mútuo, do valor da fé, da obediência a Deus e ainda, o senso de dever e direito dos pais na educação dos filhos.
No passado os pais eram referencia para os filhos. Avaliava-se a índole de uma pessoa pelo pai. Hoje, a formação apresentada pela sociedade tenta afastar a autoridade dos pais, deixando os filhos a mercê da mesma sociedade que vai marginaliza-los se não acompanhar os padrões do consumismo imediato. Perdemos nossa autoridade de Pais para sermos reféns dos nossos filhos. A afetividade também se modificou, caracterizada antes por sentimentos fortes, altamente elaborados, justificados e duradouros, mas contidos por normas severas, desloca-se para a expressão livre, momentânea, sem referência, de estados emotivos exagerados.
O que antes chamávamos de disciplina hoje é rotulado de posse, domínio, exploração dos filhos. As companhias que os nossos filhos mantém hoje, os seus hábitos e princípios adotados, demonstra o tipo de vida que serão induzidos e o tipo de sociedade que teremos no futuro.
O Lar, a Família deve ser um pequeno pedaço do Céu na terra. A família é o centro do Universo, onde se esboçam os traços decisivos de formar a personalidade do ser; onde se vivenciam as experiências mais significativas de seu passado, buscando reunir energias e esperanças para a realização dos grandes sonhos do porvir. É no seio do lar que encontramos a felicidade para uma convivência harmoniosa de relações fraternas ou não se encontra em lugar nenhum.
A paternidade e maternidade saudáveis e conscientes contribuem à maior benção para o filho e o cume da plenitude humana para os pais. Pai e Mãe se colocam como responsáveis pela educação das crianças sendo filhos ou não, ajudando-os na formação de seu caráter, acompanhando-os em sua juventude, orientando-os psicologicamente para que possam escolher sua profissão e seu estado de vida dentro de uma educação cristã e social. Desta maneira a família forma um triângulo de amor: pai, mãe e filho.
Nunca foi e nunca será ultrapassado dar uma boa educação a seus filhos, baseado na moral, amor, obediência e bons relacionamentos. Procuro educar meus filhos sempre pensando na educação recebida de meus pais, principalmente no que diz respeito a fé.