Compartilhe com seus amigos.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Eterno querigma

O povo oprimido clamou... esperou... confiou.
O Deus da Vida acolheu e escutou.
A promessa de outrora se fez realização.
O sonho de Deus se fez salvação, libertação.

Na história humana, Deus se encarnou.
Novo horizonte se abriu: novo sol despontou.
Os sinais do Reino Jesus nos mostrou.
Com a vida e a palavra, anunciou e proclamou.

Os pequenos e pobres acolheu.
Dos excluídos e sofredores se compadeceu.
Com ternura, amou, perdoou, libertou.
Com vigor, despertou, alertou, denunciou.

Apontou novos rumos, caminhos novos.
Revelou o rosto do Pai a todos os povos.
Chamou apóstolos, discípulos, seguidores.
Jogou por terra o poder dos opressores.

Pela Verdade, assumiu e abraçou a cruz.
Ressuscitado, transforma as trevas em radiante luz.
Entra definitivamente no centro de nossa história.
Convoca a humanidade para celebrar a vitória.

E o povo de Deus continua caminhando,
esperando...confiando.
E ele vai fazendo de seu projeto
um eterno Querigma.


Carlos Jorge Teixeira
Leia a matéria completa aqui ►

domingo, 11 de outubro de 2015

Eu fiz você criança

E disse Deus à humanidade:
Olhe, eu fiz você criança
para que sempre possa abrir uns olhos novos
e rir diante da morte ou se voltar a mim,
alvoroçada de medo ou de esperança,
e sentir-me Papai, Mamãe, Ternura.

Eu fiz você criança para que brinque sempre
com todo esse brinquedo do universo infinito.
Sem quebrá-lo, porém, e sem se machucar,
minha pequena!
Sempre brincando juntos os irmãos e as irmãs,
iguais no jogo!
Agora começamos mais um novo milênio,
para você brincar...


Não vá crescer demais.
Não vá querer soltar-se de minha mão, pequena!
Não vá fazer da vida um banco,
um mercado, um navio de guerra!
Venha, me olhe, bem no face a face:
Não está vendo meus olhos em seus olhos?

Cada dia amanheço neste breve horizonte de seus dias, pequena.
Cada noite aconchego sua lua espantada.
Sempre estou acolhendo seus tropeços,
seus sonhos, seu amor, sua vida,
que é minha, pequena!


Pedro Casaldáliga
Retirado do livro: 'Mensagens para o ano todo, vol.2', Paulinas Editora.
Leia a matéria completa aqui ►

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Criado por Deus


Deus não fabrica lixo, logo, ao me criar, criou um ser importante, que não existia antes e não será nunca mais repetido. Não haverá nunca outra pessoa exatamente como eu, dure o mundo o tempo que durar. Deus não faz clones. Só o ser humano é capaz de tal aberração. Quem não sabe criar, copia, e copia mal!

Quando digo que Deus me criou, parece-me perfeitamente válido, necessário até, que eu coloque o meu ser de indivíduo criado por Deus, como o de um ser privilegiado. Ele podia, no concerto da criação, ter criado tudo o que lhe aprouvesse, menos eu. Se no meio de bilhões, bilhões e bilhões de criaturas Ele escolheu criar também a mim, é porque também tenho um significado no Seu projeto e na Sua obra.

Aqui, ao usar a palavra "eu", nós não estamos sendo egoístas e, neste caso, nem excludentes, nem exclusivistas. Toda vez que, agradecido, eu louvo a Deus pela chance que me deu de ser alguém, com a minha atitude estou entrando no concerto da criação e dizendo a Deus: "Muito obrigado, Tu que és aquele que é e deste-me a graça de ser quem sou. Mas assim como Tu és quem és para tudo e para todos, eu também quero ser alguém para os outros. O meu ser só existe em função do Teu ser e da Tua criação. O meu ser perde a importância se não for em função dos outros".
Todos esses sentimentos são lindos e maravilhosos de se ter e devemos mantê-los, porque, sem isso, jamais manteremos o nosso lugar aqui, agora, já, no concerto da criação. Oremos para entendermos isso.


Pe. Zezinho, scj
(www.padrezezinhoscj.com)
Leia a matéria completa aqui ►

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

As bem-aventuranças

Felizes são os pobres com espírito 

E aqueles que compartem com os pobres 
Os riscos e a esperança, 
Porque eles têm o reino em suas vidas! Contrariamente a toda propaganda 
De produtos que dão felicidade, 

Felizes os aflitos, 
Porque eles sentirão em suas cruzes 
A ternura de Deus que é pai e mãe! 
Felizes os que sabem vencer-se, 
Na conquista da mansidão diária: 
A terra será deles! 

Felizes são aqueles que são justos 
E buscam a justiça 
E a defendem e a forjam 
E sentem fome e sede 
Da justiça do reino: 
O reino saciará sua utopia! 

Felizes os que têm misericórdia 
E não deixam passar um sofrimento 
Sem achegar-se dele 
E nele derramar-se, no óleo e no vinho: Eles encontrarão misericórdia! 

Felizes os que trazem 
Um coração sincero 
E limpo seu olhar: 
Mesmo na noite escura 
Eles verão a Deus! 
Filhos do Deus da paz, 
Irmãos daquele que é a nossa paz, 

Felizes os que lutam em paz e pela paz, 
Os construtores 
Da estranha paz do reino: 
Deles é o shalom, o axé, a paz! 

Felizes sois todos os perseguidos
Por causa da justiça, 
Nas lutas pela terra do campo e da cidade, Nas lutas do trabalho, 
Nas lutas pela vida. 

Felizes vós, profetas, 
Malditos do sistema, 
Pichados pela ordem, 
Jogados no escanteio do templo e do pretório 

Felizes, alegrai-vos, o reino já é vosso! Felizes são os pobres, 
Os meus pobres, 
Os herdeiros do reino! 


Pedro Casaldáliga
Leia a matéria completa aqui ►